Magnum Photos

E aí, fotógrafos(as), tudo bem?

Estava preparando a dica da semana e me deparei com um material precioso, daqueles que você pensa ‘é pra isso que eu pago a internet’… hehehe…

Primeiro, um pouquinho de história…

O ano era 1947 e um fotógrafo (Robert Capa) não muito satisfeito com as empresas publicitárias decidiu que os fotógrafos deveriam ter direitos sobre o próprio trabalho e que eles mesmos deveriam vender suas fotos para os clientes.

Assim, com a união de quatro célebres fotógrafos (Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, George Rodger e David “Chim” Seymour) nascia uma das mais famosas cooperativas fotográficas, a Agência Magnum, com a finalidade de registrar acontecimentos pelo mundo.

O nome é uma homenagem ao champanhe de um litro e meio (bebida favorita de Capa) com as quais os fotógrafos celebravam suas reuniões anualmente.

Agora a grande revelação!!!

Para comemorar os 70 anos da Agência, em parceria com o site “Lens Culture”, foi lançado um manual de ouro com conselhos dos seus mestres da fotografia.

O manual, chamado de “Wear Good Shoes” (Use Bons Sapatos) pode ser baixado aqui.

Vale à pena também a visita ao site da Magnum, clicando aqui.

E aí, o que achou deste post? Escreve aqui pra gente.

Boa leitura e bons clicks!!!

Vivian Maier

E aí, amigos(as) fotógrafos(as), tudo bem?

A dica de hoje vai praqueles que estão querendo ver um bom filme/documentário sobre fotografia.

Esta é uma das histórias mais legais e surreais que eu ouvi/vi nos últimos tempos. Estou falando da “Vivian Maier”. Conhecem ou já ouviram falar dela?

Seguem um trechinho tirado do Wikipédia:

“Vivian Dorothea Maier (Nova Iorque, 1 de fevereiro de 1926 – Ilinóis, 21 de abril de 2009) foi uma fotógrafa norte-americana que especializou-se na chamada street photography (fotografia de rua).

Maier passou a sua infância na França e após voltar para os Estados Unidos, trabalhou como babá por mais de 40 anos e durante este período, em seus dias de folga, fotografou a cidade de Nova Iorque, focando nas ruas, nas pessoas e nos edifícios, sempre com a sua câmera Rolleiflex. Foram mais de 150 mil fotografias mostrando as pessoas e a arquitetura da sua cidade natal, além de Los Angeles e Chicago entre as décadas de 1950 e 1960. Vivian também fez viagens internacionais, como para Manila, Bangkok, Pequim, Egito, Itália, sempre registrando, fotograficamente, as ruas das cidades.”

O mais interessante é que ela só ganhou fama após sua morte, já que ela não publicava seu ‘trabalho’. Seus filmes foram colocados em leilão e comprados por John Maloof que estava fazendo um trabalho sobre a década de 50 e queria algumas fotos de época.

Não preciso dizer que John é um dos caras mais sortudos deste mundo, né?

A história completa você vê no documentário “Finding Vivian Maier”.

Trailler: https://www.youtube.com/watch?v=wqajTVkjnjQ

Bons cliques e bom filme!!!